Segunda-feira, 10 de Maio de 2010

Limites

" Digamos que estava a pôr à prova os limites da realidade.

  Estava curioso em ver o que aconteceria.

  Era tudo: apenas curiosidade.

 

JIM MORRISON

Los Angeles, 1969 "

 

 

Fonte : HOPKINS, Jerry, Daqui ninguém sai vivo (trad. de Rita Freudenthal), Assírio & Alvim, Lisboa,1994.


Publicado por Alguém às 04:21
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Maio de 2010

Bloco A4 III

 

Fragmentos : Alexandre Alves Costa no Câmara Clara

Caneta Bic Laranja e marcador sobre papel de 120gm/m2; 21 x 29.7cm

 

" (...)

 

Temos sempre de afirmar. Deliberadamente.

(...)

O que é isto de intervir no Património ?

Eu acho que isto é o futuro de Portugal ! Não dá couves. Mas dá histórias.

(...)

Tem que haver alguma parcimónia no Experimentalismo.

 

(...) "

 


Publicado por Alguém às 02:08
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Abril de 2010

When you're strange : a film about The Doors

 

  Depois do Documentário “When you’re strange” de Tom DiCillo no Indie Lisboa, o retorno a The Doors é incontornável.

  Hora e meia de viagem pela história da banda devidamente contextualizada política, social e familiarmente. Um regresso à contracultura americana dos Anos 60 tão motivada pela Guerra do Vietname – e não só…

 

  Corre agora a notícia de que a produção possivelmente será exibida no cinema mainstream - uma nova oportunidade para quem não marcou  presença nas sessões do Indie dos dias 23 e 25.

 


Publicado por Alguém às 03:06
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 26 de Março de 2010

Medina Carreira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

” (…) A Europa, que é um sítio por onde se deslocam os falhados do nosso País (…) “

Henrique Medina Carreira IN Jornal das 9 da Sic Notícias, a 25 de Março de 2010.

 

 

Henrique Medina Carreira (Bissau, 14 de Janeiro de 1931) é um fiscalista e político português.

 

É filho de António Barbosa Carreira, historiador, e de Carmen Medina Carreira.

Bacharel em Engenharia Mecânica, iniciou a sua vida profissional como técnico fabril de fundição de aço. Mais tarde ingressou na Universidade de Lisboa, onde se licenciou em Ciências Pedagógicas, em 1954, e em Direito, em 1962. Frequentou ainda o curso de Economia no Instituto Superior de Economia e Gestão, sem o terminar. Dedicou-se à advocacia, à consultoria em empresas e à docência universitária, a última das quais exercida no Instituto Superior de Gestão, no ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa e no Instituto Estudos Superiores Financeiros e Fiscais. A par da sua carreira profissional, desempenhou outras funções, como as de membro do Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais, membro do Conselho Fiscal da Fundação Oriente, vice-presidente do Conselho Nacional do Plano, vogal do Conselho de Administração da Expo'98, presidente da Comissão de Reforma de Tributação do Património (nomeado por António Sousa Franco), presidente da Direcção da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores e vogal eleito do Conselho Superior da Companhia de Seguros Sagres.

 

No plano político, exerceu o cargo de Subsecretário de Estado do Orçamento, durante o VI Governo Provisório (1975-1976), o qual deixou de exercer para assumir, logo de seguida, as funções de Ministro das Finanças do I Governo Constitucional (1976-1978). Foi nessa condição que negociou com o FMI um empréstimo no valor de 750 milhões de dólares. Em 1978 abandona o PS, por divergências quanto à política económica adoptada pelo partido no poder. Em 2006 apoiou publicamente a candidatura de Aníbal Cavaco Silva à Presidência da República.

Nos últimos anos tem sido um grande crítico das finanças públicas portuguesas relativamente ao endividamento e despesa pública e à actual carga fiscal portuguesa. Também tem criticado a situação actual da educação, justiça e inexistência de políticas contra a corrupção. Referente à dívida externa portuguesa Medina Carreira refere que "nos últimos 10 anos a dívida portuguesa tem aumentado diariamente 48 milhões de euros". Relativamente aos gastos excessivos em Obras públicas critica também a falta de capacidade dos sucessivos Governos portugueses em evitar derrapagens nos custos das obras públicas portuguesas, mais concretamente na Casa da Música, Ponte Rainha Santa, Terreiro do Paço.

 

Desde 1972 tem escrito diversas obras sobre a temática económica e financeira.

 

 

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Henrique_Medina_Carreira (adaptado)


Publicado por Alguém às 16:00
link do post | comentar | favorito
|

_Alguém...

_pesquisar

 

_Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


_Artigos recentes

_ Limites

_ Bloco A4 III

_ When you're strange : a f...

_ Medina Carreira

_Arquivos

_ Setembro 2010

_ Maio 2010

_ Abril 2010

_ Março 2010

_ Fevereiro 2010

_ Janeiro 2010

_ Setembro 2009

_ Agosto 2009

_ Julho 2009

_ Junho 2009

_ Maio 2009

_ Abril 2009

_ Fevereiro 2008

_ Outubro 2007

_ Setembro 2007

_ Julho 2007

_ Abril 2007

_ Fevereiro 2007

_ Janeiro 2007

_ Dezembro 2006

_ Novembro 2006

_ Outubro 2006

_tags

_ todas as tags

_Links

_Blog Patrol > 25 04

_Twitter

Follow F_Lavareda on Twitter

_Last FM

mstfst's Profile Page

_Visitas

blogs SAPO

_subscrever feeds